Prancheta 4 cópia 2@4x.png
Prancheta 3@4x.png

Expo

Contemporânea

2021

Talvez nossas respostas estejam nas origens. A potência de nossa fala coletiva regressa ao vermelho, à natureza e ao ritualístico, para nos propor uma e outra vez resistentes. Reinventamos nossos corpos e nossas identidades porque a veste do patriarcado nunca nos serviu. Somos disformes. Somos carne crua. Rostos que quase não se formam ou que se veem no reflexo das outras. Mulheres racializadas, feitas de sementes, folhas, bocas, agulhas e água. Trancafiadas para tentar descobrir que caras temos ou vestidas de armadura para enfrentar o espaço público. Ainda que sejamos feitas de sangue, seguimos em busca do que mais podemos ser, sem nos descuidar da luta por nos manter vivas.

 

A Expo Contemporânea 2021 faz parte do Festival Duas: Artistas Contemporâneas. Um projeto idealizado por mulheres, pensando nas questões da visibilidade da mulher e de suas obras. Muitas vezes somos obliteradas e esquecidas durante o nosso percurso poético. Iniciativas como esta nos reúne em discussões de arte propostas por mulheres. Corpos que criam, articulam fazeres e pensares em diversas linguagens, transbordando por meio de distintas práticas e saberes. A Expo Contemporânea 2021 traz os trabalhos das artistas Ana Pedrosa,  Ana Reis, Andréa Veruska, Cecília Bichucher, Cinira d'Alva, Faeina Jorge, Geovana Grunauer, Laíza Ferreira, Larissa Rachel Gomes, Ma Njanu e Naná Blue e contou com a curadoria de Elisa Elsie, Mariana do Vale, Rafaela Jemmene e Sofia Bauchwitz. A convocatória esteve aberta entre os dias 15 de janeiro e 07 de fevereiro de 2021 e recebeu mais de 50 inscrições de mulheres artistas e nordestinas.

 

* Este projeto foi realizado com recursos da Lei Aldir Blanc Rio Grande do Norte. Com o apoio do Governo do Estado, Fundação José Augusto e do Governo Federal, através da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo.

Laíza Ferreira - Sem título, Construindo narrativas como dispositivo de re existência série, colagem analógica, 2020 15x15cm

Laíza Ferreira - Sem título, Construindo narrativas como dispositivo de re existência série, colagem analógica, 2020, 15x15cm

deixada sozinha 2.jpg
deixada sozinha 3.jpg
deixada sozinha 4.jpg

Cecília Bichucher - Série Deixada Sozinha, aquarela sobre papel 300g tamanho 30x45cm, 2020.

Boneca de trapo III.jpg
Boneca de trapo II.jpg
Boneca de trapo I.jpg

Larissa Rachel Gomes - Boneca de Trapo I, II e III, escultura em tecido, algodão cru e enchimento sintético, 10cm x 5 cm, 2018.

Cinira d'Alva_foto1.jpg
Cinira d'Alva_foto2.jpg
Cinira d'Alva_foto3.jpg

Cinira d'Alva - Rosto-cabaça, Rosto-cão e Rosto-pá, fotoperformance, fotografia digital, 2018. Fotografia: Marcelo Barbalho 

Ana Pedrosa - Uma boca no mundo, Vídeo-arte, Direção/ Roteiro/ Poesia/Performance: Ana Pedrosa , Direção de Fotografia/ Som Direto/ Edição/ Montagem: Talbert Igor, 2' 24'', 2020

Sob-domesticacao afetiva. 2020.jpg

Geovana Grunauer -  Sob-domesticação afetiva, fotoperformance e colagem digital, 2237x2796 pixels, 2020, Fotografia: Alex Duarte

Distorcida 1.jpg
Distorcida 2.jpg
Distorcida 3.jpg

Ana Reis - Série Distorcida, autorretrato, fotografia digital, 2020

Protetora dos tabuleiros do Brasil, cola
Rosa dos ventos, filhas do dendezeiro, s
Rosa dos ventos, filhas do dendezeiro, s

Ma Njanu - Rosa dos ventos, filhas do dendezeiro, estudo em série de colagens digitais, 2020.

Naná Blue - Oleada, fotoperformance, 100x150cm, 2020.

Faeina Jorge - Série FAIA, fotoperformance, 2021. Fotografia: Nívia Uchoa

Andréa Veruska - Criação e performer: Andréa Veruska, Direção: Andréa Veruska e Camila Silva, Fotografia, montagem e áudio: Camila Silva, Figurino: Mayza Becker e Gigi, Maquiagem: Aurora Jamelo, Realização: NEXTO, 2018.